Link Patrocinado

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Viagem a SC -15/05/2009 - mais uma pequena parte do diário de um viajante/turista, por umas cidades de SC.

AGORA SIM, DIA 15/05/2009
Acordei com frio, olhei para a janela. Parecia que estava nublado,fiquei meio desanimado,mas lembrei em pensar positivo, abri a cortina...que beleza, um solzão, e nenhuma nuvem,só um vento friozinho!
Alegrei-me, arrumei os negócios e fui tomar café umas 9:00.
Eu enrolei e saí umas 10h, para ir às praias do sul da Ilha: meu roteiro seria: praia da Armação, Matadeiro, voltar para Armação e ir para Lagoa do Peri.
Falei com a Alexandra, recepcionista do Hostel de manhã e ela falou q era possível fazer em um dia. Saí de camiseta e bermuda. A camiseta era do time de futebol do Japão e a bermuda era aquela calça bermuda de tactel - é o esquema levar calças-bermuda e camisetas leves também (se for tempo de calor). Eu me referi à camiseta porque eu, no fim, usei a camiseta por uns quatro dias seguidos até no dia que eu percebi que tava fedendo muito ahahaha.
Peguei o ônibus no TICEN -Rio Tavares - Direto. Lá no terminal Rio Tavares, se pega o ônibus que eu esqueci o nome... acho que Costão De Dentro..depois eu coloco o ônibus. No busão, perguntei para um senhor, onde era o ponto da Armação. Ele disse que ia me avisar e ficamos conversando, contou que tinha duas filhas que se casaram e estavam morando em Salto (SP), caras sortudos uahuaua. O Local para descer é bem no ponto onde o busão faz um retorno no “centro” da praia, em frente à igreja. Se não avisar, não tem problema, logo q ele faz o retorno tem um outro ponto. De lá já vi o mar, porém não dá pra andar na praia, pois o mar chega até as escadas. Em frente à igreja tem um restaurante ótimo, (bom e barato!) e se come olhando para o mar. Uma beleza!
Descendo a rua da igreja, há uma casinha onde pode pegar informações bem por cima, achei engraçado quando entrei na casinha, tinha dois caras lá aí eles estavam ouvindo rap num celular (achei engraçado pq imaginava que lá na praia não se ouvia rap – é, sim, uma idéia minha meio nada a ver, mesmo.).Como eles falaram que a praia do Matadeiro era próximo a da Armação (a que eu estava) e fui dar uma olhada lá. Para ir lá atravessei uma ponte (delta onde só passava pessoa e, no máximo, bicicleta. Era uma ponte tosca de concreto que parecia que ia cair. Depois da ponte há uma trilha para o Matadeiro. Eram umas 10:30 da manhã, o sol estava forte. Entrei numa parte que haviam rochas, troquei o tênis pelo chinelo e fiquei olhando a margem da praia, da hora que dava pra ver uns peixinhos lá. Nessa hora, lá na trilha eu vi que passou uma loira(pra variar), indo para a Matadeiro. Depois de um tempo recomecei a ir para lá e, vi a loira numa “prainha” com umas garrafas PET, de cabeça para baixo soltando um líquido, nas duas mãos e girando em círculo. Ela viu que eu estava me aproximando e fingiu que não estava fazendo nada... eu pensei:”Eita, a mina ta fazendo trabalho(de Umbanda/Candomblé- não sei definir) no mar”. Bom, passei por lá e cheguei na Matadeiro. Cara, que praia da horinha, tranquilinha, um bar lá na ponta e umas casas na outra. Mais pra frente eu tava vendo que tinha um casal conversando, eu estava com lente e óculos escuros, achei estranho, de longe, o biquíni da guria. Bom, quando me aproximei, o “susto”o biquíni dela era ,na verdade, a marca do biquíni, ela estava fazendo topless(aeeeeee), mó da hora a mina, claro que eu ia ficar olhando, hahaha, o trouxa do namorado ficou me encarando, mas nem tava aí, pô, vai deixar ela mostrando os peitos e acha que ninguém vai ficar de olho?hahaha. Aí segui até a outra ponta(uma tradição: quando digo que conheço uma praia quer dizer que eu andei ela de ponta a ponta) e voltei. Infelizmente a guria estava já de biquíni hahaha. Bom, voltei para a Armação. Tem uma ilha, que pode-se ir andando por uma ponte de madeira. É bem massa a paisagem vista pela ilha(vendo a Matadeiro e a Armação).Lá dessa ilha, sai barco para a Ilha do Campeche que, infelizmente, não foi dessa vez que conheci. Deve ser uns R$30,00-R$40,00 para ir lá e ficar o dia todo. Seguindo para a frente da ilha, há um monte de Pedras, cria uma bela vista lá.
Perguntei na casinha de informações onde era um lugar que fosse barato/bom/comida leve. Ele indicou o restaurante que está na frente da igreja principal, lá onde os ônibus fazem o retorno. Como já foi dito, ela é de frente ao mar mesmo e o preço é bem razoável! Eu indico (depois por o endereço). A dona é simpática, gente boa e a caixa é da hora hahaha. Come-se bem, ouve-se o som das ondas batendo nas pedras no muro do restaurante...uma beleza!(pois é, essa hora que esquecer a máquina é f...).Ao lado, comprei um sorvete (Skimo! - tradição em comer, no interior), tem umas lojas em frente. No final comprei uma camiseta também.
Voltei para a rua, em direção a onde começa mesmo a praia da Armação, estava quentão, vi uma gordinha de biquíni tomando sol, e achei ela da hora também hahaha. Andando mais para frente, perguntei para um cara, onde teria que sair para ir a Lagoa do Peri. Ele me mostrou lá beeem em frente, umas árvores todas juntas, que teria que sair lá...
Bom, segui em frente, a areia lá é bem cansativa de caminhar porque é areia grossa (muitas conchas quebradas compõe a areia lá) e na margem do mar parecia que meu pé estava afundando mais, comecei a ir mais pro lado da vegetação, porém apareceram dois cachorros que ficaram de olho em mim e começaram a seguir. Ai eu fui pra perto do mar de novo, cansadao, mas, pelo menos, sem ser mordido. Bom, depois de uns 10 minutos sendo seguido pelos cachorros, eles pararam e eu,finalmente, consegui ir para o canto mais duro. Saí para a estrada e perguntei para um bar onde seria o local, do outro lado da estrada, que teria um restaurante e informações da lagoa e, claro, o caminho para ver a Lagoa (ou seja, a parte mais turística da Lagoa).
Bom, o cara falou que andando, logo ali teria uma entradinha. Beleza, entrei lá na ruazinha. Na esquina havia uma casa com uma certa enfeitada com quadros que, provavelmente, o morador faz. Era uma estradinha de terra, só casas/chácaras, eu achei estranho ser lá o caminho, mas fui andando. Quando a estradinha se dividiu em dois, pensei: fodeu...uahua. Mas apareceu um casal de senhores, que falou: “se seguir à esquerda, tu sai para a Lagoa, mas lá só da pra ver a Lagoa e nada mais, e para ir ao restaurante, vá para a direita e siga toda vida reto, e, sempre, vire a direita.”.Resolvi ir pela esquerda, cada vez mais era só mato do nada ouvi barulho de cães das casas locais. E isso me fez lembrar umas reportagens que eu ouvia/lia/via, onde um cachorro feroz fugia da casa e atacava quem estivesse na rua, deu um medo, mas fui indo nessa estradinha deserta. Até que vi lá, na frente a Lagoa do Peri. Fui até a margem, tinha uma placa: “Área preservada”. Bom, Era uma Lagoa e ponto. Cheguei lá e...sei lá, não sabia o que fazer, imaginava algo diferente(pra melhor). Ao lado da placa de área conservada havia uma outra falando pra tomar cuidado onde pisar, pois poderia pisar numa cobra sem querer: ”cuidado onde pisa, área com risco de aparição de serpentes”.Fiz o caminho de volta, Cara, fiquei com um pouco de medo quando vi dois malucos a lá maloqueiro/interior, mas quando eu vi que eles foram conversar com uma amiga deles (pra variar, bonita), achei que dava nada. Segui, até a parte que se dividia a estrada. Fui para a direita... antes vi o senhor de antes, que gritou:”sempre a direita!!” , fiz que sim.. seguindo ela, ficava cada vez mais estreita, e aqueles barulhos de cachorro começaram a incomodar,pois era muito mais deserto .Uma hora, fiquei em dúvida se uma entrada a direita era um caminho para uma casa láá longe ou era um caminho para o restaurante. Pensei...e vi que não estava muito a fim de me perder lá e voltei..saí da estradinha de terra para a rodovia e pensei: ah! Deve ser perto daqui, vou andando. Porém, após uns 15 minutos andando na beira da rodovia, de chinelo, achei que estava demorando para chegar no local. Perguntei para um senhor que me respondeu: “daqui a cinco quarteirões é o local” engraçado que eu, por talvez ser de uma cidade grande, imagina um quarteirão com varias casas, e as ruas que formam os quarteirões como toda asfaltada e tal, bom os quarteirões deveriam ter uns 200 metros cada um, atravessadas por ruazinhas de terra. Cara cansou, pensei que nunca mais ia chegar no lugar e aquele sol tava foda.!Pensei que tinha me perdido, mas do outro lado da avenida vi uma entrada pr a praia, passando por lá vejo que ainda estou na Armação, mas andando pela praia foi mais fácil ver o local que queria conhecer se aproximar (uma casa que a Companhia de Jesus-jesuítas, construíram lá numa encosta, no fim da praia da Armação). Já havia pescadores no local, e a maré estava subindo. Fiquei parado por mais de 10 minutos olhando as ondas e percebi que uma onda de 1,5m, que pensava que era pequena, dá um medo devido sua força (cara que não mora na praia não manja mesmo a intensidade disso hehe).Ah...mó da hora ficar olhando as ondas, relaxante pra caramba, daria pra ficar 1 hora olhando,se estivesse de carro,pra voltar ao centro. Achei o restaurante do outro lado da rodovia, o restaurante estava repleto de mulheres lindas(pra variar), pelo que vi, eram de Blumenau, e estavam a passeio e, todas bem vestidas, com roupa de frio(estava quente, o dia!!). Fui ate a Lagoa e,lá, na margem tinha uns banquinhos,onde fiquei sentado por um tempo. Entrei no local de informações da Lagoa, nem curti, tem uns museuzinhos, tinha alunos da faculdade federal. Eu queria usar um banheiro, mas não tinha ninguém pra me atender, o jeito foi agüentar. Dava pra ouvir uns barulhos de gente jogando bola, procurei, não achei, depois que saí do parque/restaurante, vi que ao lado dele, tinha uma sede de um grupo de escoteiro lá (onde estavam jogando bola)-não dava pra ver o campo, mas deu vontade de jogar. Continuei andando por aquela areia fofa da praia, até que cheguei lá no Convento. Subi a Rampa, e lá em cima tinha Um conservatório(eu acho que é esse o nome ) gigante, bem imponente, com uma vista muito louca...Pude ver a praia da Armação de um lado e a Lagoa do Peri do outro e, devido ao horário, o pôr do sol deixou a paisagem mais bonita ainda. Curti lá por uma hora, só Estava eu no local. Uma hora apareceu um casal de senhores com a mãe, e depois um casal pra dar uns pegas no carro lá hahaha. Depois uns três malucos de Bh..pqp! Isso que é coragem, vir de carro desde BH pra Floripa.
Quase 5 da tarde, resolvi dar uma última olhada panorâmica e fui pegar um ônibus, seguindo reto, a saída do convento. Demorou pra passar o busão, mas uma hora passou e voltei cansado e feliz para o Albergue. No albergue encontrei com o/a carioca (entendeu??) e ele me contou o que fez no dia, e eu o que fiz. Jantei no Shopping: matte leão + um sanduíche=R$4,49. Comprei, antes uma broa de polvilho(nunca tinha comido) meio enjoativo,mas é boa!Comprei um Struddel de maça,e um pão d e milho. Voltei, conversei com o recepcionista do Hostel, mó gente boa, fazia sociologia,se não me engano(Paulo , o nome dele), mas era engraçado que ele era d ela, mas a maioria que eu perguntava ,ele falava”puts....vixi, cara, não sei....”ahahaha cara, uma hora quase falei pra ele, como que contrataram ele, pq tava foda, morava lá,era recepcionista do Hostel e não sabia dos picos uahuahua.
Quando fui ver, já era 1h. Fui tomar banho e dormi, contente pelo dia que tive.
*obs: não revisei o texto,se tiver algo estranho, sem nexo, me avisem que eu releio e escrevo direito :)

Nenhum comentário: